MEZIS

Quem somos nós

Nós somos MEZIS (“Mein Essen zahl ich selbst”— “Eu pago meu almoço”, na Alemanha), uma iniciativa fundada em 2007 a partir de médicos incorruptíveis (de língua Alemã). Nosso objetivo é se contrapor à “estratégia do abraço” da indústria farmacêutica:

  • MEZIS combate a presente influência e poder injustificado da indústria farmacêutica no cuidado à saúde.
  • MEZIS sensibiliza colegas médicos e estudantes de medicina de que aceitar canetas, alimento, patrocínio de estudo, custeio de viagens e remuneração para estudos de vigilância pós lançamento (Post Marketing Surveillance Studies – PMSS) torna o hábito de prescrição vulnerável à influência.
  • MEZIS exige uma clara proibição da influência e da corrupção nas regulações de profissionais médicos.
  • MEZIS promove informação e programas de Educação Médica Permanente (Continuing Medical Education – CMEs) independentes do fabricante assim como software médico livre de propaganda.
  • MEZIS é parte da rede mundial “No free lunch”.

Como nós trabalhamos na prática?

Se há uma coisa que os médicos não têm é tempo. Então MEZIS trabalha de forma descentralizada, com comunicações por meio de uma lista de e-mails e pelo website www.mezis.de. Nossas relações públicas trabalham destacando o sujeito na mídia. Nossos grupos regionais formam redes de colegas locais.

Por que MEZIS?

Como médicos, nós carregamos grande responsabilidade por nossos pacientes! Informação acurada e objetiva sem o viés de interesses comerciais é um pré-requisito necessário, especialmente para medicamentos de prescrição. Contudo:

  • De acordo com estimativas, 15.000 representantes farmacêuticos visitam 20 milhões de clínicas e hospitais na Alemanha a cada ano, divulgam seus produtos, entregam seus brindes e remuneram médicos pela participação em estudos de vigilância pós lançamento. Eles tratam os médicos com almoços e jantares, além disso, pagam pela viagem e pela participação deles em programas de Educação Médica Permanente (CMEs).

    Resultado: a propaganda de medicamentos, geralmente mais caros sem oferecer qualquer progresso terapêutico, substitui a informação objetiva. Dinheiro, presentes e refeições influenciam o comportamento de prescrição dos médicos. A indústria farmacêutica patrocina a maioria dos programas de CME e, portanto, podem garantir a abordagem de tópicos “certos”. Frequentemente, os conferencistas médicos recebem remuneração imprópria e mesmo suas apresentações são frequentemente fornecidas pelos patrocinadores.

  • Dados dos estudos das companhias farmacêuticas, frequentemente, não são publicados ou o são de forma incompleta. O planejamento e a análise são frequentemente fraudados para apresentarem resultado favorável. Estes dados então influenciam guias e publicações em revistas médicas, especialmente aquelas que são financiadas por receitas provenientes de propagandas.
  • As companhias farmacêuticas contratam seus próprios autores, os quais oferecem importantes websites com informações médicas que contêm afirmações tendenciosas e orientadas aos seus próprios interesses.
  • Os critérios de diagnóstico de doenças são ampliados (mercantilização da doença) para produzirem mais condições que possam ser tratadas com medicamentos. Os danos das doenças são exagerados (mercantilização do medo). As organizações de auto-ajuda dos pacientes são patrocinadas e supridas com informação inadequada. Isso aumenta a pressão sobre os médicos prescritores.

Consequências: os gastos com medicamentos aumentam, especialmente pelas onerosas pseudo-inovações, que não têm prova de valor terapêutico adicional e, potencialmente, têm riscos desconhecidos. A confiança na relação médico-paciente é questionada.

Isto toca com você?

Então faça parte do MEZIS! MEZIS está aberto a todos os médicos e dentistas de língua Alemã (80 € / ano). Todos os outros podem ser membros passivos (40 € / ano). Por favor, contacte info@mezis.de.

Mais informações

info@mezis.de

Ou através da diretora médica e gerente:

Dra. Christiane Fischer, MD,MPH, PhD

fischer@mezis.de